- Sheila Vianna - Bola de Neve Santos

Cada cultura tem os seus ritos de passagem. Por exemplo, na cultura brasileira há as festas de 15 anos, formaturas e etc. Na cultura judaica também há ritos, e Jesus passou por todos.

1. Circuncisão. Os bebês eram circuncidados no oitavo dia. O oitavo representa um novo começo. A criança é marcada no mais íntimo, ela não entende aquilo, mas um dia a marca revelará a quem ela pertence.

Pra nós, a circuncisão é o reconhecimento de Jesus como Senhor e Salvador. É o fim de um ciclo sem Jesus. Quem nasce espiritualmente é um bebê na fé e ainda não entende, mas foi marcado no mais íntimo do seu coração e um dia aquela marca fará sentido.

2. A consagração no templo. Não basta ser marcado por Deus, isso fala de estar na casa de Deus. O corpo de Jesus é a Igreja. Não ter igreja está na moda porque o conceito de família saiu de moda e a igreja é a família de Deus.

3. Filho do mandamento (bar mitzvá). Responsabilidade diante de Deus. Com 12/13 anos, a criança era colocada na congregação pra declarar publicamente a palavra, e depois disso era considerada responsável por suas escolhas. Assim também na vida espiritual: o bebê na fé cresce, até que possa assumir responsabilidades porque conhece a palavra.
Jesus era menino, mas estava no templo sabendo se colocar com desenvoltura em assuntos espirituais. Autonomia não é a mesma coisa que independência. Jesus tinha autonomia, mas era submisso aos pais.

4. Batismo. O batismo simboliza a maturidade pra cumprir o chamado.
Às vezes queremos coisas que exigem uma maturidade que ainda não temos, e Deus nos barra porque conhece a nossa estrutura.
Não tenha medo de amadurecer, só não atropele fases. Entre em coisas que requerem maturidade quando Deus confirmar a sua maturidade!

5. Morte voluntária. Espiritualmente falando, a morte voluntária é o nível mais alto de estatura com Deus. É matar a carne. Jesus foi obediente até a morte e por isso Deus o exaltou a mais alta posição.

Muitos querem crescer e ser exaltados, mas quantos querem obedecer até a morte?