- Sheila Vianna - Bola de Neve Santos
Podemos aprender tanto com os que deram certo, tomando suas vidas como exemplo a seguir, como também podemos aprender O QUE NÃO FAZER com os que fracassaram.
O maior exemplo de uma pessoa que tinha TUDO para dar certo, e não deu, foi Judas Iscariotes.
Ele demonstra que é possível uma pessoa andar muito perto de Jesus, presenciar Seus milagres, receber todo o ensino, e ainda assim, por viver uma hipocrisia, endurecer o coração a ponto cometer loucuras e um suicídio espiritual.
Todas as vezes que o nome de Judas é mencionado, em seguida vem a observação de que ele foi o traidor. Jesus sempre soube disso, pois conhecia seu coração. Ainda assim, Jesus nunca o tratou como tal, pregou diversas vezes confrontando os pecados que estavam em seu coração, e o exortou com amor e paciência.
Satanás encontrou em Judas a pessoa perfeita para o cumprimento das profecias a cerca da morte do Messias. Cercou a vida dele, influenciou, mas só entrou nele quando ele cometeu o ato da traição. Judas abriu a porta, quando em vez de confessar o que se passava na sua mente, resolveu manter uma aparência de fidelidade e santidade. Nenhum dos outros desconfiava dele.
Judas era movido a ambições egoístas para seguir a Jesus. Ele tinha expectativas no que poderia receber, e como poderia se beneficiar daquela comunhão. A motivação não era a pessoa de Jesus, e sim o que ele ira ganhar estando por perto dEle.
Quem anda com Deus por interesse, vai com satanás por uma proposta melhor, que atenda seus interesses carnais.
Foi o que aconteceu com Judas.
Não obtendo o que queria, resolveu do seu jeito. Após se revoltar com a adoração de Maria que derramou 300 moedas de prata em perfume nos pés de Jesus, Judas O vendeu em seguida, por apenas 30.
Após a prisão de Jesus, ele até percebeu que as 30 moedas não supririam o seu vazio, mas não se arrependeu. Foi tomado por remorso, auto-comiseração, e se matou. O orgulho impede a humilhação, e nos leva a decretar sentenças de morte sobre nós mesmos. Foi o que Judas fez.
Que possamos aprender com ele, a não ser a pessoa que tinha tudo para dar certo, e não deu. A não ser o potencial desperdiçado, aquele que ouviu muito e não aplicou nada. Que aprendamos a viver em transparência, para não nos tornarmos “pista de pouso” de maldições e destruição. Jesus amou Judas até o fim, Ele é fiel mesmo quando somos infiéis, e enquanto há vida, há chance de conserto!